You are here: Home » Guaratinguetá » Guaratinguetá – Catedral de Santo Antônio

Guaratinguetá – Catedral de Santo Antônio

A Igreja Matriz de Santo em Antônio fundada como paróquia em 25/02/1651, vinte e um anos após a inauguração da primeira capela, em 1630.

Foi criada Catedral da Arquidiocese de Aparecida, conforme o Decreto de Transferência, autorizado pelo então Arcebispo, sua Eminência Reverendíssima o Cardeal Dom Aloísio Lorscheider.

Somos uma Paróquia pertencente à Igreja Particular de Aparecida, orientada e dirigida por sua Eminência Reverendíssima, Cardeal Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo. E pastoreada diretamente por seu Pároco, Pe. Narci Jacinto Braga (Ver Nomeação), e seu Vigário Paroquial, Pe. Renan Rangel dos Santos Pereira, atualmente.

História

Em 1.628 dava-se a conhecer o povoamento destas terras por Jacques Félix e filhos. 13 de junho de 1.630, em data dedicada ao Santo Padroeiro, marca-se a fundação de Guaratinguetá, pela construção da capela “erguida em pau-a-pique e coberta de sapé” sob a invocação de Santo Antônio de Pádua, cuja festa se comemora em 13 de junho. A invocação do santo fixa, assim, esta data, que está gravada na porta da Catedral, como inicio do povoado de Guaratinguetá, pois era uso do colonizador português local batizar o local com o nome do santo do dia.

Data de Inauguração: 1630 (primeira capela).

Descrição: é o monumento mais antigo da cidade. Teve início em uma capela erguida em “pau-a-pique coberta de palha (sapé)”, nos idos de 1630. A construção atual, em taipe e pedra vem do século XVIII, com reformas e ampliações sucessivas. Em seu interior há altares barrocos e néo-clássicos, com elementos rococó, afrescos e entalhes de madeira, com destaque para o bonito para-vento da entrada. Entre suas antigas e valiosas imagens destacam-se as de S. Miguel, de N. S. das Dores, de N. S. do Carmo, N. S. do Rosário e em especial a seiscentista imagem em terra-cota, de Santo Antônio, padroeiro de Guaratinguetá. 

Inscrições: Na porta principal estão as datas de 1630 (capela) e 1913 (reforma que alterou seu frontispício, torre e laterais, com a retirada dos beirais e introdução de novos elementos decorativos). No interior há inscrições em placas funerárias, pois na matriz estão sepultados Mons. João Fillipo (1928) e D. Antônio de Almeida Morais Júnior, Arcebispo de Niterói (1984), antigos vigários. Outras placas em mármore marcam colaborações e doações diversas. Há ainda um busto em bronze, de Mons. Fillipo. A matriz de Santo Antônio é citada em obras diversas sobre a história paulista e sua arte.

Tombamento: Lei Municipal nº 177, de 26 de junho de 1952, que a declara “obra de valor histórico como monumento da fundação de Guaratingueta”.

Marco Geodésico

Localização: Praça da Constituição, no Jardim Panorama (Bairro de São Dimas, á esquerda do rio Paraíba).

Descrição: erguido próximo ao monumento que homenagea os constitucionalistas de 1932. Consta de uma placa metálica sobre base de concreto. Do ponto onde está colocado, têm-se uma vista panorâmica de 360º sobre o vale do rio Paraíba, serra da Mantiqueira e do Mar, cidades de Aparecida, Pindamonhangaba, Lorena e Cachoeira. À noite avista-se a iluminação de Queluz.

Inscrição: “Marco Geodésico. IBGE. Alt. 618 mt. Guaratinguetá, Atl. 523 mt.”

  

Pároco: Pe. Narci Jacinto Braga
Vigário Paroquial: Pe. Renan Rangel dos Santos Pereira
Endereço: Rua Feijó, 40 – Centro – 12.500-320 – Guaratinguetá – SP 
Telef
one/Fax: (12)3122-4840 
E-mail: catedral.guara@uol.com.br

Related posts:

  1. Cachoeira Paulista – Igreja de Santo Antonio
  2. Guaratinguetá – História

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>